Categoria: Finanças

sacar dinheiro com o cartão de crédito

Quanto custa sacar dinheiro com o cartão de crédito?

Muitas vezes acabamos solicitando o cartão de crédito e pode ser que acabamos ficando sem dinheiro, sendo que enfim algumas vezes precisamos sacar dinheiro com o cartão de crédito e realmente pode ser uma boa saída. 

Porém, é importante saber quais taxas são cobradas a partir daí e quais valores acabam sendo cobrados, sendo assim, aqui iremos falar um pouco mais sobre esse assunto, tendo em mente que essa pode ser uma boa alternativa daqueles que não possuem outra saída. 

Quanto custa o saque com o cartão de crédito?

Para sacar dinheiro com o cartão de crédito pode ser uma grande saída para aquelas pessoas que precisam de dinheiro, sendo que muitas vezes esta necessidade é de urgência. Sendo assim, é importante entender exatamente que o banco acaba considerando esse tipo de saque como uma espécie de empréstimo, sendo que as taxas cobradas acabam sendo bem altas.

Sendo assim, aquelas pessoas que estão usando um dinheiro que não tem então essas mesmas pessoas pagarão com juros e será cobrada ainda uma tarifa a cada saque, claramente cada taxa de juro quanto cada tarifa dependem justamente dos bancos.

É importante que as pessoas compreendam claramente que na verdade, estão fazendo um empréstimo sendo que devem então pagar os mesmos juros do rotativo do cartão, ou seja, é praticamente a mesma coisa de quando a pessoa paga apenas o valor mínimo da fatura. 

Desta forma, ao sacar R$ 100,00 desse cartão de crédito a pessoa acabará então pagando os R$ 100,00 sendo que ainda deve ser cobrado o valor da tarifa de saque e mais as taxas de juros cobradas. 

Sendo assim, o custo final deve ser bem maior do que o sacado inicialmente, sendo assim, a pessoa acaba quitando essa divida justamente quando acaba recebendo a fatura desse cartão, lembrando que os juros deverão ser contados até o dia do fechamento desta conta. 

Além disso, em determinados bancos tais como Bradesco e Itaú essa tarifa acaba dobrando de valor, sendo que por exemplo no Itaú o valor desse saque nacional acabou passando de R$ 5,00 para o total de R$ 12,00, sendo que no banco Bradesco então existe a cobrança em saques no exterior custa em torno de R$ 20,00. 

Porém, cada banco acaba cobrando então uma taxa especifica de acordo com suas tabelas em geral, por esse motivo se informar é importante onde a pessoa precisa compreender exatamente o funcionamento dessas tarifas e taxas. 

Como funciona o saque com o cartão de crédito?

Claramente sacar dinheiro do cartão de crédito é um processo completamente simples, onde os interessados devem simplesmente chegar no caixa eletrônico mais próximo em seu banco, colocando então seu cartão e por fim selecionando a opção de saque, logo depois a pessoa deverá ter esse valor disponibilizado.

Lembrando que os valores são liberados anteriormente pelo próprio banco, sendo que a pessoa já possui um valor pré-definido para ser liberado, esse valor em geral costuma ser citado diretamente na fatura do cartão de crédito desse cliente. 

O valor é liberado somente se está dentro do limite da pessoa, sendo que caso a pessoa tente tirar mais do que o valor definido então a mesma não conseguirá visto que o banco não permite a realização do processo.

Paga juros se sacar dinheiro com o cartão de crédito?

Sim, ao sacar dinheiro com o cartão de crédito a pessoa acaba tendo cobranças de juros e tarifas, sendo que as mesmas devem variar de banco para banco, entretanto, os valores costumam ser próximos aos valores cobrados através do crédito rotativo por exemplo. 

Como calcular os juros de saque com o cartão de crédito?

Aos que desejam sacar através do cartão de crédito esses precisam saber que o valor do saque deve variar conforme o próprio limite concedido pelo cartão, sendo que o valor relativo as tarifas e juros acabam variando conforme o banco e instituição. 

Porém, é importante destacar ainda que os juros cobrados acabam sendo os mesmos do crédito rotativo, ou seja aquele cobrado quando pagamos o valor mínimo da fatura, sendo assim, para que a pessoa possa calcular a mesma precisa saber que terá que pagar o valor pedido + tarifa do saque + taxas de juros, o custo ao final fica bem mais alto.  

Certamente apesar de salvar muitas pessoas no final do mês, certamente esses juros cobrados acabam sendo os maiores do mercado, sendo que o ideal é pesquisar outro tipo de crédito ou até mesmo solicitar valores com parentes ou amigos. 

Caso a pessoa não tenha outra saída, essa pode ser de fato a melhor opção, porém, é importante saber exatamente quais são as taxas cobradas. 

Como sacar dinheiro com o cartão de crédito?

Sacar dinheiro do cartão de crédito na verdade, acaba sendo um dos processos mais simples e principalmente básicos que existem na vida financeira da pessoa. Sendo assim, para poder sacar com esse cartão basta apenas que a pessoa compareça até o caixa eletrônico mais próximo em seu banco e seguir todos os passos do menu que serão disponibilizados. 

Além do mais, é possível sacar valores em caixas eletrônicos de outros bancos, entretanto, as taxas são ainda maiores, sendo que ainda é possível sacar diretamente com o cartão de seu banco em outros tipos de caixas eletrônicos. 

É importante inserir esse cartão, depois basta que a pessoa selecione a opção “saque” logo em seguida, é importante selecionar a opção “cartão de crédito”, logo depois basta apenas inserir o valor que deseja e por fim retirar o valor desejado. 

Lembrando que a senha para realização desse saque é a mesma senha que a pessoa utiliza para comprar através de seu cartão, sendo assim, é importante ficar atento (a) aos horários em que os bancos tendem a funcionar. 

Lembrando ainda que muitos bancos acabam fechando a partir das 17 horas, sendo que em determinados casos os bancos fecham às 16 horas, sendo assim, o ideal é se programar caso a pessoa precise fazer uso deste recurso.

empréstimo pessoa jurídica

O que é um Empréstimo Pessoa Jurídica?

Muitas vezes é preciso ter acesso a um Empréstimo Pessoa Jurídica, isso porque muitas vezes as empresas também precisam pegar valores emprestados, sendo que isso ocorre com certa frequência quando há uma crise por exemplo.

Desta forma, é importante saber exatamente como pegar um empréstimo para pessoa jurídica sem precisar se preocupar com excesso de burocracia, além do mais, é importante destacar ainda quais são as opções disponíveis aos empreendedores e empresários. 

O que é um Empréstimo Pessoa Jurídica?

O Empréstimo Pessoa Jurídica, serve muitas vezes para aquelas empresas que estão com problemas em seus recursos financeiros, sendo que muitas vezes as mesmas precisam honrar seus compromissos além de expandir seus negócios ou ainda adquirir seus equipamentos. 

Desta maneira, é preciso entender que o empréstimo acaba sendo uma das melhores formas de aporte de recursos que são mais utilizadas, sendo assim, é importante entender exatamente como funciona esse empréstimo para pessoa jurídica e então entender se essa de fato é a melhor opção para essa empresa. 

Como Funciona Empréstimo Pessoal Jurídica?

Para solicitar o Empréstimo Pessoa Jurídica, é preciso entender como funciona esse processo, sendo assim, antes de tudo a empresa deve realmente calcular se vale a pena solicitar esse produto, isso porque esse valor possui taxas de acréscimos bem altas. 

Antes de solicitar o empréstimo a empresa deverá analisar para que será usado esse recurso, sendo que caso seja contratado de forma displicente então a divida da empresa pode aumentar ainda mais. 

Antes de tudo, é importante abrir uma conta diretamente no banco onde a pessoa pretende realmente obter esse recurso, sendo que logo o banco deve então exigir documentos que serão usados para analisar esse pedido, desta maneira o valor liberado será o que foi solicitado, ou um valor menor, caso queira o banco ainda pode negar o pedido. 

Em geral, os bancos costumam analisar vários fatores, entre os mesmos tempo de relacionamento, saldo médio da conta, produtos adquiridos, empréstimos, investimentos e até mesmo financiamentos anteriores para decidir se concederá o empréstimo ou não. 

Ademais, ainda são avaliados os dados da documentação completa apresentada, em geral os documentos necessários são os seguintes: balanço patrimonial, patrimônio da empresa, porte da empresa, reputação da empresa, restrições, cheques devolvidos e até mesmo protestos caso possua. 

Como conseguir um Empréstimo Pessoal Jurídica?

Certamente conseguir um Empréstimo Pessoa Jurídica, pode ser um pouco mais difícil do que o esperado, sendo assim, é importante que a empresa avalie por completo se existe a necessidade de captar empréstimos. 

Isso porque a empresa ainda deve saber que há um custo pela solicitação dos valores, esse mesmo é chamado de C.E.T., o Custo Efetivo Total. Lembrando que caso a empresa mantenha uma boa relação com o banco em geral alguns valores são disponibilizados online pelo próprio site ou APP do banco.

Caso não tenha um Empréstimo Pessoa Jurídica, liberado, então é importante destacar que a pessoa pode fazer esse processo diretamente na agência bancária, sendo que deve ir até o banco e solicitar atendimento para pessoa jurídica, ali serão pedidos os documentos que devem estar todos atualizados. 

Em geral a resposta acaba saindo em pouco tempo, sendo que a pessoa ainda pode tentar valores menores caso tenha uma negativa, lembrando que existem possibilidades de penhorar bens, colocar carro ou imóvel como garantia. 

Empréstimo Pessoal Jurídica Com Restrição

Para aquela pessoa jurídica que está com restrição e deseja enfim solicitar Empréstimo Pessoa Jurídica, realmente existem possibilidades de resolver esse problema, sendo que atualmente existem certas opções que permite aos que estão negativados solicitar um valor.

Sendo assim, abaixo as melhores opções para aqueles que estão negativados e desejam realmente fazer esse pedido: 

Refinanciamento de veículo

Na verdade, esse é um tipo de empréstimo muito solicitado por aqueles que estão negativados, sendo que a pessoa precisa ter em seu nome ou no nome da empresa um carro, o mesmo deve estar quitado. 

Desta maneira, o empréstimo é solicitado com a pessoa oferecendo seu veículo como garantia, desta maneira, o limite acaba sendo estabelecido justamente de acordo com o valor da revenda desse carro, sendo que é possível pegar um empréstimo ainda menor, lembrando que caso os pagamentos não sejam realizados o banco toma o veículo e fica com a parte devida devolvendo o valor restante do carro. 

Justamente por ter um veículo como garantia então os juros são bem mais baixos, sendo que as taxas também acabam sendo tranquilas. 

Empréstimo por Penhora de bens

Nesse tipo de Empréstimo Pessoa Jurídica, a pessoa pode ofertar os bens dela ou até mesmo da empresa, os mesmos podem servir como garantia para solicitação do empréstimo, sendo que em geral a liberação desses valores costuma ser bem rápida e sem burocracias, isso porque não há análise de crédito envolvida, nem ao menos é necessária a comprovação da renda para esse tipo de operação. 

Lembrando ainda que esse tipo de empréstimo é interessante para aqueles que precisam de dinheiro rápido, sendo que em geral os prazos são bem curtos podendo chegar a penas a 4 meses para que ocorra a quitação total, lembrando que caso a pessoa não consiga honrar com esses pagamentos então os bens vão indo para leilão. 

Empréstimo com garantia de imóvel

Certamente esse acaba sendo o melhor Empréstimo Pessoa Jurídica, isso acontece justamente porque esse empréstimo é capaz de conceder altos valores, sendo que para aqueles que estão negativados essa alternativa pode ser excelente. 

Primeiramente é importante destacar ainda que nesse tipo de empréstimo a pessoa acaba oferecendo um imóvel quitado em seu nome para enfim receber os valores suficientes para poder transformar essa divida apenas em uma. 

Além do mais, essa opção ainda é capaz de conceder valores que vão de R$ 30 mil até R$ 1 milhão de reais, sendo que esse tipo de empréstimo concede a menor taxa de juros do mercado, sendo que em geral essas taxas podem chegar até 1,14/% ao mês, sendo que as parcelas acabam ficando com valores ainda menores. 

Além do mais, em relação ao prazo de quitação o mesmo pode chegar a 20 anos, sendo que esse é um fato extremamente importante para não comprometer por completo o orçamento mensal.

O que saber antes de abrir uma empresa.

Começar um pequeno negócio não é uma decisão pequena. Mas, apesar dos inúmeros sacrifícios e desafios enfrentados pelos pequenos empresários, 84% dos donos de pequenas empresas fariam tudo de novo. Se você está pensando em dar um mergulho e começar um negócio próprio, há alguns passos importantes que você precisa dar primeiro.

Essas dicas surgem do que vejo os empreendedores bem-sucedidos e o que eu vejo os que não conseguem fazer. Aqui estão as 10 coisas que você precisa fazer antes de começar um negócio:

1. Desenvolva uma mensagem poderosa

Qual problema do cliente você está resolvendo que os potenciais clientes estão dispostos a pagar? Isso é freqüentemente chamado de proposta de valor. Além disso, por que sua empresa terá sucesso operacional e financeiro?.Veja como configurar e manter um orçamento para sua pequena empresa.

2. Concentre-se no cliente e compreenda completamente o mercado

Há muitos exemplos de empresas que não têm o melhor produto / serviço ou não são as primeiras a comercializar, mas são muito bem-sucedidas porque dominam o marketing e as vendas. Pesquise os dados demográficos e psicográficos da sua base de clientes em potencial e entenda seus hábitos de compra .

Observe os concorrentes, converse com empresas semelhantes, navegue pelos sites de seus concorrentes e entenda o que os clientes estão dizendo sobre eles nas mídias sociais.

3. Comece pequeno e cresça

Se possível, autofinanciar sua startup e, em seguida, ir para o financiamento quando você pode criar uma história de crescimento. Isso pode fazer com que você divida sua oferta de produtos / serviços em partes menores para que você possa financiar os estágios iniciais e obter alguma tração e experiência. Use este conselho para determinar quanto dinheiro sua pequena empresa deve ter.

4. Entenda seus próprios pontos fortes, habilidades e tempo disponível

Saiba quando você precisa contratar um contador , advogado, agente de seguros, especialista em marketing , designer de página da Web ou outro profissional. Isso iniciará seu processo de gerenciamento como proprietário de uma empresa. A Constant Contact trabalha com consultores de marketing para ajudá-lo a começar uma variedade de serviços.

Businessman hands showing different gesture thumb up and thumb down, voting and feedback concept

Confira as listagens do Marketplace para encontrar ajuda especializada em design da Web, estratégia de marketing e muito mais.

5. Cerque-se de conselheiros e mentores

Lançar e crescer um negócio é difícil, e mais da metade falhará dentro de cinco anos Ninguém pode ter todo o conhecimento, experiência ou mesmo perspectiva para lidar com todas as situações de negócios. Ganhe das habilidades e experiências dos outros.

6. Obtenha um mentor SCORE

Se você não tiver certeza de onde encontrar um mentor, o SCORE é um ótimo lugar para começar. Os mentores da SCORE são gratuitos – basta visitar www.SCORE.org para encontrar um mentor cara a cara perto de você ou um mentor para entrar em contato via e-mail ou Skype.

Também neste site há muitos workshops gratuitos, webinars e templates, todos focados em ajudar os empreendedores a iniciar e desenvolver um negócio com sucesso.

7. Escreva um plano de negócios

Começar um negócio é difícil e arriscado; é fácil gastar todo o seu tempo e recursos nisso.

Ter um plano escrito com seus resultados projetados e objetivos pessoais é a melhor maneira de permanecer no caminho certo.

Por exemplo, sua empresa pode obter um lucro de US $ 20.000. Mas se você mora em uma cidade grande, apóia uma família e talvez pais idosos, e está tentando economizar para a faculdade e aposentadoria das crianças, então provavelmente US $ 20.000 não são suficientes.

Um plano de negócios colocará suas ideias em termos concretos e ajudará a identificar locais para alterar o modelo de negócios, quando necessário.

8. Conheça seus números

Tenha uma boa noção de suas vendas, margens brutas, lucros, fluxo de caixa e as métricas específicas associadas ao seu negócio. Você estará tomando muitas decisões “on the fly” e conhecer os números – a economia de negócios – ajudará a garantir que você tome as decisões certas.

Procure maneiras de cortar custos onde puder. Use ferramentas de baixo custo como e-mail marketing e mídia social para gerar reconhecimento, em vez de métodos de publicidade tradicionais mais caros.

9. Entenda que não há direitos

Não subestime este: você vai trabalhar duro para todas as suas conquistas. Ser um pequeno empresário é um dos trabalhos mais difíceis. Em uma pesquisa recente, 40% dos donos de pequenos negócios disseram que não tiram férias e têm dinheiro amarrado em seus negócios.

10. Tenha uma paixão pelo que você está fazendo

Ser um fundador de negócios pode ser muito solitário e não há horas suficientes no dia para realizar tudo. De grandes sucessos a grandes desvantagens, se você não é alimentado pela paixão em cada passo do seu trabalho se torna muito mais difícil.

Seguindo a risca todas essas dicas, com certeza você vai abrir seu próprio negócio da melhor maneira possível, já preparado para alguns imprevistos e sabendo dos possíveis erros que podem causar um desastre nas pessoas que abrem, seu próprio negócio sem experiência e conhecimento algum.

Gerenciando as finanças do seu negócio.

Quer ter as finanças sob controle na sua pequena empresa?

Conhecer o estado de seus assuntos financeiros de trás para frente é uma das melhores maneiras de garantir que o dinheiro continue fluindo.

Permanecer em cima de suas finanças significa que você pode evitar dívidas comerciais imprevistas e ter dinheiro suficiente para investir e expandir seus negócios.

Fique por dentro do gerenciamento de dinheiro do dia-a-dia

Gerencie adequadamente sua contabilidade. Você pode contratar um bom contador ou comprar software de contabilidade. É crucial que você mantenha um controle preciso de sua renda e custos.

Revise seus custos. 

Acompanhe todas as suas despesas da sua pequena empresa. Elas podem aumentar rapidamente, mas analisá-los permite que você ajuste o destino do seu dinheiro, assim você vai se precaver de gastos extras.

Faça projeções financeiras. 

Ter projeções financeiras claras é importante. Seu principal plano de negócios o ajudará a antecipar e abordar possíveis obstáculos futuros.

Não fique com folga no faturamento.

Envie as faturas o mais rápido possível após o fornecimento de mercadorias ou serviços.

Defina condições de pagamento de sete dias para garantir que os pagamentos não sejam esquecidos ou perdidos no processo.

Você pode tornar isso mais fácil criando modelos de conjunto para follow-ups de e-mail ou SMS. Números de fatura de referência e referência cruzada com os pagamentos.


Negócios separados, lazer e contas privadas

Mantenha uma conta bancária comercial separada. Misturar dinheiro de negócios com suas finanças pessoais é uma receita para perdas inexplicáveis ​​e problemas fiscais. Manter o dinheiro do seu negócio separado tornará a rentabilidade de medição mais fácil e ajudará você a manter o controle adequado de suas despesas.

Acompanhe os empréstimos pessoais para o seu negócio. Mantenha registros precisos do que você empresta ao seu negócio. Quando seu negócio começa a ganhar dinheiro, você pode facilmente pagar o empréstimo do diretor antes de pagar o imposto sobre o lucro remanescente.

Certifique-se de se pagar primeiro. Isso não significa sugar todo o lucro no momento em que você o faz; comece com 10% dos ganhos. Esta é uma boa maneira de reservar dinheiro de forma consistente e testar a rentabilidade do seu negócio. Ele também fornece uma rede de segurança para despesas inesperadas.

Mesmo que você pague a si mesmo, não seja sugado pelos benefícios da propriedade da empresa, mesmo se puder pagar por ela. Defina seu salário o mais baixo possível e ofereça apenas benefícios obrigatórios do governo. O que você economiza agora lhe dará mais flexibilidade nos próximos meses magros.


Cuide dos maiores problemas de negócios

Tome cuidado ao expandir. 

Certifique-se de que a expansão seja feita de maneira firme e inteligente. Empurrar grandes quantidades de dinheiro em expansões muito rápidas e drásticas pode ser desastroso.

Assuma o controle de seu próprio marketing e relações públicas. Siga um PR e estratégia de marketing para garantir que os esforços sejam intencionais e focados.

Considere alugar em vez de comprar. 

O equipamento de leasing, em vez de comprar, ajuda a evitar custos de manutenção e também pode impedir que você pague demais em equipamentos necessários apenas por um período específico de tempo. Você também pode considerar alugar seu espaço de escritório, pois facilita a transferência e a expansão.

Não espere muito tempo antes de procurar um empréstimo. 

Um erro fácil de fazer é esperar até que seu negócio esteja com problemas financeiros antes de solicitar empréstimos ou outro crédito. Isto é exatamente quando você será menos provável receber financiamento. Considere a possibilidade de solicitar um empréstimo comercial quando suas finanças ainda estiverem em bom estado. Desta forma, o empréstimo pode ser usado para expansão ou como uma linha de crédito de emergência em vez de resgate.

Certifique-se de ter capital suficiente. 

As pequenas empresas tendem a não ter capital suficiente para passar pela fase inicial. Para evitar isso, tenha três meses de despesas salvas mais o valor que você espera das despesas de negócios dos primeiros três meses. Planeje como se você não esperasse receber receita de negócios.

Não gaste prematuramente. Não exagere nos cartões de visita, na escrita de assinaturas, nos materiais de marketing, nos carros ou no inventário antes de qualquer receita real entrar. Isso pode criar um bloqueio de fluxo de ca